Das minhas (quase) férias

Se há coisa que me desperta a futilidade é o facto de eu ter de preparar malas. Vai-se lá saber porquê, mas ele é roupas que definitivamente preciso, objectos para qualquer eventualidade e coisas das quais eu já nem me lembrava ter em posse. Torna-se demasiado complicado escolher algo cujo uso apenas dependerá do meu instinto diário, ou não fosse eu adepta da desorganização e da filosofia do “é aquilo que calhar”. Tudo isto para dizer que uma mala que, aparentemente, parecia gigante, já tomou proporções demasiado reduzidas para o meu gosto e para a minha atitude (pouco) prática.

Comentários

joana amorim disse…
obrigadaa! sim, eu também adoro a camisa :3

post:
concordo contigo! mas pensa que vais de férias e isso compensa tudo!
GF disse…
Sou tão diferente… sou tão organizada que até me irrita a mim própria, mas não consigo mudar.
Anónimo disse…
Eu cá sou diferente de ti, a minha filosofia é mais organizada. Porque não fazes conjuntos com roupas e enfias na mala, e levas algo que gostes como livros para te entreteres ?

Mensagens populares deste blogue

Dose certa

Olhar para trás