Páginas

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Dos travessões, fitas e borrachas de cabelo


Hoje lembrei-me de algo que vem ao encontro do último post. Não sei se aconteceu convosco, mas pelo menos comigo foi assim. Como qualquer criança, não era quem decidia a roupa que vestia (até aqui, tudo bem), mas claro que nunca na vida poderia escolher o meu penteado (nada de anormal). Contudo, eu e a minha mãe nunca tivemos gostos semelhantes no que respeita à maneira como arranjamos os cabelos (aqui está o problema) e isso fez com que eu produzisse algumas birras na infância.
Começando pelo mais sóbrio, muitas foram as vezes em que me sujeitei às tranças, aos rabos-de-cavalo e aos cabelos soltos. Mas era em situações mais complexas e trabalhadas, que eu resmungava. Fossem os dois totós (um de cada lado) que amarravam o cabelo, como se tivéssemos algo que não era nosso (refiro-me, pois está claro, às partes frontais de certos animais); os ziguezagues de cabelos amarrados não sei onde por dezenas de molinhas em forma de borboleta; ou até mesmo os puxos com mil e um travessões brancos; tudo servia para que eu me zangasse e fosse aborrecida para escola ou para um destino qualquer.
Hoje pego os travessões coloridos, as fitas cor-de-rosa ou as borrachas do cabelo na minha mão e relembro estes momentos com uma ponta de saudade. Mesmo quando os recordo e partilho com a minha mãe, muitas são as gargalhadas que deixamos fugir e, apesar de tudo, sinto que eles foram importantes para que eu crescesse e aprendesse que na vida, nem tudo acontece como eu quero. A forma como ela tratava do meu cabelo, era apenas um dos muitos gestos que tinha para demonstrar que gostava de mim. Talvez um dia, quando tiver uma filha, eu seja capaz de compreender estes actos de uma maneira diferente.

7 comentários:

Flá BH disse...

Eu adorava quando minha mãe me penteava... era tão bom!
Tem dias que ainda peço para ela pentear meus cabelos rsrsrs
bjo

Lú Pinheiro disse...

São lindos estes pensamentos de infância, sentimos saudades, gosto de pentear minha filha e gostava quando minha mãe me enchia de trancinhas quando criança, vi um filme chamado 100 escovadas antes de dormir, se vc pentear 100 vezes o cabelo antes de dormir irá refletir sobre o que se passou durante seu dia, sua vida...
bjinhos flor

Vânia Pereira disse...

Lembro-me perfeitamente de chorar quando a minha mãe me fazia tótós, e de os arrancar logo que saia da beira dela...
Nunca gostei de ter muita coisa no cabelo :S

Cansei de choramingar! Quero aproveitar! disse...

Eu odiava pentear meu cabelo e me lembro de uma certa vez que sai correndo no meio da rua e minha irmã correndo atrás gritando para que eu voltasse para ela poder pentear meu cabelo.Me divirto muito qdo lembro.Bjos

Cristiane disse...

Amiga minha mãe nunca foi de fazer penteados... minha irmã sim gostava de mecher em meus cabelos e eu ficava muito zangada kkkk
Bjs

Catarina Sofia disse...

se há coisa de que eu gosto é que me mexam nos cabelos, fico logo com uma soneira que me deixo levar e quase adormeço xD
mas olha, faz bem recordar, é sempre bom, quando vivemos algo e pensamos que é completamente horrivel e assim, mais tarde sabemos que foi bom de certa forma.
concordo plenamente contigo xp

ALSM disse...

eheh nunca passei por nada disso pois era uma verdadeira maria-rapaz :p cabelo curtinho com pouca margem de manobra para totós,travessões e coisa que o valha x)