Páginas

sábado, 27 de agosto de 2011

(...)


A dor tem o tamanho da importância que lhe damos.

5 comentários:

Daniela Oliveira. disse...

Ai Catarina, ando completamente trocada. Não sei o que fazer xD
Num momento, tento convencer-me de que só quero a amizade dele e com o tempo esqueço-o. No outro momento, só penso que não quero mais nenhum rapaz para amar e que muito provavelmente não vou conseguir a amizade que tinha com ele antes de me apaixonar -.-
Poça, o tempo só me confude ainda mais e estas saudades são madrastas xD

Patrícia disse...

Bem verdade, pena é que, maior parte das vezes, não consigamos diminuir essa importância.

José Carlos disse...

Pois, nessa situação, o melhor era mesmo desistir do emprego... és muito nova para ser obrigada a abdicar de algumas coisas que são importantes agora :)

e sim, o amor é complicado, mas só me calha a parte má xD

Rita disse...

É é também essa mesma dor, essa mágoa e as marcas que ela deixa que nos fazem ter a certeza de que tudo foi real. Mas ficarmos a sentir-nos uma lástima e completamente miseráveis não atenua a dor.

D. disse...

E de vez em quando atribuímos tanta importância a coisas tão pequenas!