Páginas

quarta-feira, 6 de abril de 2011

#16 LETTER TO SOMEONE THAT'S NOT IN YOUR CITY OR COUNTRY


Foi graças a um intercâmbio que te conheci. É certo que o meu inglês da altura não favoreceu muito a comunicação entre nós, mas o tempo ajudou, ou não tivesse sido ele crucial para que nos passássemos a entender por outros meios, desta feita longe de serem linguísticos.
A primeira semana deste projecto foi passada no teu país, a Holanda. Confesso que nos primeiros tempos me senti um pouco excluída, embora toda a tua família me tenha acolhido de uma forma extraordinária. Mas, com o mover dos ponteiros do relógio, tudo isto passou e tive a oportunidade de não só conhecer o teu país, mas também a tua família e tudo aquilo que a ti estava relacionado. É caso para dizer que a vergonha se dissipou por entre as necessidades e as curiosidades características do estágio numa família diferente da minha.
Alguns meses passaram e foste tu quem veio cá. Claro está que tenho a perfeita noção de que te sentiste da mesma maneira que eu me senti quando estive nesse papel, mas espero estar certa ao afirmar que isso mudou e que gostaste de estar com a minha família e no meu país, tanto quanto eu gostei quando estive numa posição semelhante à tua.
Quatro anos depois, hoje falamos esporadicamente pelos meios da Internet, o que, de certa forma, me entristece um pouco, embora saiba que é perfeitamente normal, dadas as circunstâncias do nosso dia-a-dia. Na memória ficaram alguns dos melhores momentos da minha vida, construídos essencialmente por nós, pelos nossos amigos e pelos nossos países.

3 comentários:

Daniela Pereira disse...

nunca sai daqui :/ adorava passear e conhecer gente nova e simpática por ai...

S. disse...

Pois, é bom que não faça mal porque cansa ver a minha cara enfeitada -.- Enfim.

Catarina Elwin Haner disse...

Sempre quis fazer um intercâmbio, um dia talvez escreva uma carta assim para alguém que conheça num deles.