Páginas

terça-feira, 8 de junho de 2010

Coisas da idade


A idade já cansa. O coração bate suave e vagarosamente, a respiração vai e volta de forma monótona e lenta, as rugas tomam contam de uma pele que outrora fora suave e os cabelos perdem a sua cor natural passando a ser invadidos pelo branco da sabedoria.
Enganam-se aqueles que pensam que o ser e o parecer são verbos que conjugam uma mesma acção. Embora o tempo não deixe de evidenciar uma longa existência, embora a idade amachuque e embora o corpo comece a ceder, o coração, esse, permanece mais vivo do que antes, mantém-se mais alegre do que nunca.
Unicamente os que já viveram uma diversidade de momentos sabem apreciar o verdadeiro sabor da vida e somente esses têm a vontade de ficar, de permanecer, de recordar, de ensinar, de aprender e de descobrir.
No final, só um vence e apenas ele reina. Um dia o corpo ganhará, o coração cederá por ele e o tempo permanecerá na eternidade encoberto pela profunda solidão.
A todos aqueles a quem nem mesmo o tempo roubou a vontade de viver.

1 comentário:

Anónimo disse...

E para aqueles que já não têm vontade de viver? Essas almas penadas, que cada passo parecem centenas de quilómetros...Esses não merecem?