Páginas

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Algo que já foi mais simples


Quando eu era pequena tinha muitos sonhos. Ingénuos, cómicos, delirantes, improváveis até na sua maioria. Contudo, com o decorrer do tempo, a maior parte desses sonhos não se concretizou, simplesmente porque deixaram de fazer sentido ou porque foram substituídos por outros um pouco mais providos da probabilidade de acontecimento.
Naquela altura, vivia como calhava, passo a expressão! O facto de esses sonhos se realizarem ou não, era completamente indiferente pois haviam sempre novas brincadeiras, novos momentos e novas invenções características das crianças que me fascinavam e nas quais eu focava toda a minha atenção. Os momentos eram vividos intensamente e desfrutados um a um, como se o sonho fosse o presente e não a perspectiva de um futuro.
Hoje não é assim. As coisas mudaram um pouco, um pouco que não é muito mas que altera tudo. Continuo a sonhar, como é óbvio, assim como qualquer outra pessoa o faz, já que os sonhos são aqueles que comandam a vida, tal como um dia alguém se lembrou de dizer. Em contrapartida, é neles que estão centradas todas as minhas acções, todos os meus pensamentos e a maior parte da minha existência. Desta forma, sou eu que me deixo levar pelos sonhos e não eles que se deixam levar por mim, como havia acontecido no passado. Por vezes, isto é bom, pois consigo surpreender-me positivamente a mim mesma, mas de tempos em tempos acarreta uma certa carga de desilusão quando nem tudo corre como o esperado.
Acho que, algum dia, todos haveremos de passar por isto. Chamam-lhe maturidade os mais positivistas. Dão-lhe o nome de infortuno os que se governam pelo pessimismo. É à escolha do freguês…


Tudo era mais simples quando os sonhos se deixavam levar por nós…


Aos que já comandaram os sonhos. A todos aqueles que agora se deixam levar por eles.

1 comentário:

Anónimo disse...

Torna se tudo muito mais simples quando somos crianças, contentamo nos com pouco saboreamos o verdadeiro sentido da vida ficando felizes com gestos simples e coisas pequenas, quando crescemos as coisas tornam se diferentes! Adoro como transformas em palavras aquilo que sentes ...