Páginas

terça-feira, 25 de maio de 2010

Extintas


Sou suficientemente fraca para não ser capaz de desistir de um momento para o outro, sou exageradamente orgulhosa para não ter a capacidade de insistir e sou minimamente cautelosa para perceber quando devo parar.
Gosto de ti, simplesmente e no verdadeiro sentido do verbo gostar, mas apenas e só. Um só que é tanto, um só que é muito, um só que acaba por nada ser por entre o verdadeiro sentido da palavra Amor. Um só desconhecido, um só por explorar e um só surpreendentemente absurdo.
Existiram momentos em que preferi deixar-me levar pelo sabor do tempo, momentos em que desejei que tudo fosse momentâneo, momentos esses estranhamente passivos. Mas nada se extinguiu.
Tinha de ouvir cada palavra de ti e só de ti. Tinha de saber tudo de ti e só de ti. Assim foi e ainda hoje não me arrependo.

A alguém verdadeiramente muito genuíno.

Sem comentários: