Páginas

domingo, 11 de abril de 2010

Meu.


-De quem é o teu coração?
-O meu coração?
-Sim, o teu coração. De quem é? Ainda é meu?
-Quando me abraças, quando me beijas, quando me magoas e quando me destróis?
-Ahhh... Sim, nesses momentos todos, de quem é o teu coração? Ainda é meu?
-De quem é que achas que ele é? Onde é que achas que eu procurei forças para continuar, todas aquelas vezes que me disseste que eu já não era quem tu amavas? O meu coração? É meu e de mais ninguém.

Haverão sempre coisas que nunca nos poderão roubar. Haverá sempre algo que nunca poderá ser nosso.

Sem comentários: