Páginas

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Really?


Foram as palavras que encenaste e disseste mil e uma vezes, a quem te deu atenção,  que não fizeram sentido para mim. Foi o quereres alguém, fosse quem fosse. Foi aquilo que não senti. Teria sido melhor ficares no teu mundo e eu no meu. Porque, no fundo, não guardo nada, excepto a memória de algo que passou.

1 comentário: