Páginas

sábado, 27 de outubro de 2012

Das praxes

Deixei-me delas. Por ter de acordar às cinco da manhã, por ter de chegar a casa demasiado tarde, pelos abusos daqueles que se vestem de negro, por ter (muito) mais com que me preocupar e por, simplesmente, ter deixado de gostar de lá ir. A verdade é que serviram para conhecer mais gente e viver alguns momentos bastante interessantes. Mas, mesmo assim, sempre há um novo mundo para descobrir, muito para além do que se está acostumado a ver, ou não tivesse a diminuir o número de participantes neste tipo de atividades. Pelo menos por estes lados.

1 comentário:

Miguel Silva disse...

És uma tontinha. Devias ter olhado para a praxe c outros olhos