Páginas

domingo, 23 de outubro de 2011

Dizer não é falar a verdade

São palavras não digeridas e largadas ao vento, como que por não serem merecedoras da verdade do coração e da sinceridade da mente. Talvez pensasses que por serem ditas pudessem ter qualquer valor, mas não. Não quando apenas me mostraram aquilo que eu, possivelmente, gostaria de ouvir.
Nem tudo pode ser proferido num momento aleatório. Os segundos certos para o acontecimento exacto existem, de facto, e são eles que nos fazem acreditar que o que aconteceu foi realmente importante. No entanto, o instante ideal é marcado no relógio sob a ordem da confiança e da cumplicidade, e essas, tal como o amor, não existem à primeira vista, conquistam-se. Resta-me saber se algum dia saberás o que é essa conquista, se é que isso realmente me importa.

5 comentários:

Daniela Pereira disse...

eish! este teu textinho parece quase algo que poderia ser retirado do livro...

Pri Gaby disse...

Oi Catarina, muito obrigada.
bjs

Rita Martino disse...

Pois, como eu te percebo xD

Rita Martino disse...

Adorei este texto :)

Miguel Silva disse...

Por vezes o problema está em dizer as coisas certas nos momentos errados, e esse combo aliado a alguma impaciência e incompreensão acaba em desilusão..


O suspeito do costume ;)
Beijinhos*