Páginas

terça-feira, 13 de setembro de 2011

18.


A minha opinião sobre as amizades que se dizem eternas tem-se vestido de negro nestes últimos tempos, ou não fosse o seu fim o prato do dia. Mas, sabes, acredito que sejas uma das poucas pessoas que ficarão na minha vida por muitos e longos anos, até sermos velhinhas e termos histórias compridas para contar. Afinal, já partilhamos os anos de berço e de glória, em que pouco sabíamos do futuro do mundo e das decisões complicadas. E embora tenham sido muitas as pessoas que entraram e saíram da minha vida, tu acabaste sempre por ficar.
Hoje, porém, o “quando eu for grande” virou presente e já fazemos (ou vamos fazendo) ideia do que será o nosso futuro. Somos, na verdade, o retrato daquilo que já vivemos, não só quando éramos crianças, mas também em todos aqueles segundos que partilhamos com as pessoas fantásticas que viemos acrescentando à nossa história pessoal. E agora, ao ver aquilo em que te tornaste, dificilmente deixo de me sentir orgulhosa perante toda essa tua coragem, firmeza, lealdade, vontade de viver e humor à Damon. Tanto quanto consigo ser uma irmã babada, nos momentos certos, sou também capaz de me tornar uma amiga babada.
Os dezoito anos vêm somente dar continuidade a esta fase de mudança. Não que eu os queira desvalorizar, longe de mim (que tenciono festejá-los com a maior alegria do mundo), mas a tua vida merece ser celebrada todos os dias. Talvez para isso apenas tenhas de acreditar que consegues ser tudo aquilo que quiseres e de viver como sempre, sendo tu mesma. E eu, pessoalmente, acredito em ti e sei que serás muito mais do que hoje pensas conseguir ser.



Parabéns, Diana!

1 comentário:

Anónimo disse...

Queria mesmo fazer um comentário interessante onde diria tudo o que me vai na mente neste momento... mas por dois motivos não me sai nada de jeito.
1º o privilégio de termos um texto dedicado especialmente a nós, o facto de sabermos que alguém se deu ao trabalho de pensar em nós e traduzir tudo em palavras, como sempre, tão bem elaboradas e tão bonitas e a ideia de que somos e representamos alguma importância para alguém.
2º perdi-me COMPLETAMENTE no elogio descomunal que me fizeste. "humor à Damon" ?? ADORO-TE MULHER!!
E pronto... isto é tudo que consigo dizer neste momento.
Apenas acrescento uma coisa. Se pudesse, não escolheria NINGUÉM para partilhar o berço e a longa infância que ainda perdura, para além de ti. Foste e és a melhor amiga de infância que alguém pode desejar.
(já para não mencionar as fraldas)

Um GRANDE GRANDE OBRIGADA por TUDO e um BEIJINHO ainda MAIOR!!
<3