Páginas

domingo, 24 de outubro de 2010

Conversas de rua


Às vezes pergunto-me por que razão os caminhos são tão curtos e as conversas tão longas, dado que, foram já alguns os dias em que desejei continuar a caminhar na calçada da rua e na companhia de uma determina pessoa, mesmo depois de já ter chegado a casa ou a qualquer outro sítio designado por destino. Não que os temas sejam extremamente interessantes, inovadores ou bem fundamentados. Apenas pela forma como são abordados, pelos gestos com que são descritos e pelos olhares nos quais são reflectidos. E isto chega para que goste de estar ali, num sítio cujas coordenadas de pouco importam.

3 comentários:

Miss Murder disse...

Sabes uma coisa imensamente estúpida?

eu não te estava a seguir --'

Já emendei esse erro!

Catarina disse...

Oh, não tem mal nenhum! Eu sei que vens cá de vez enquando. :b

luis, o tigre disse...

eu tambem não te estou a seguir .b acho que me matavas se te seguisse na rua
ou me matavas ou gostavas (: tu és mesmo assim

Os caminhos nunca são longos quando a companhia é boa .b