Páginas

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Obscura mentira



(Histórias de alguém...)

Começo a perceber muitas das frases que me disseram até hoje sobre ti. Começo a entender o porquê de muita coisa, porquê esse que me fora escondido por todo um conjunto de emoções que sempre me invadiram o coração.
Antes, nunca me fora dada a possibilidade de descobrir a realidade. Antes, não me eram reveladas as facetas mais obscuras da tua alma. Antes, apenas o teu "EU" mais encantador me fora mostrado.
O facto de viver enganada neste mundo de existências durante tanto tempo, fizera de mim uma pessoa fraca, que agora se deixa abater por tão pouco, depois de descobrir outras características que sempre foram tuas. Desta forma, a desilusão não se deixa atenuar, apenas se vai agravando segundo a segundo, descoberta a descoberta, palavra a palavra. É neste tipo de momentos que não sei bem o que pensar sobre aquilo que conheci de ti. Será que me enganaste? Ou será que apenas me omitiste factos que não me importavam? Penso que talvez não sejas capaz de responder a estas perguntas, não honestamente, não a mim. Para dizer a verdade, todas as palavras que, possivelmente, proferisses para acabar com estas questões, apenas serviriam para fechar um capítulo da minha vida, para que a minha mente conseguisse guardar uma imagem final e coerente de tudo aquilo que tu és, de tudo aquilo que tu possas ter representado.
Sou um desenho com vida própria, já não mais me deixo influenciar por qualquer tipo de "borracha" que tu possas possuir. Embora tudo isto seja verdade, ainda se torna necessário para mim saber como foram e como são as coisas na realidade. O facto de ter andado enganada e cega por amor, não implica que este mesmo erro se deixe levar por uma continução sem fim. Quero acabar com as mentiras, quero resolver os problemas do passado para, desta forma, poder seguir em frente, tal como o meu coração me grita constantemente para fazer.

De um momento sincero, Lara Teles.

Sem comentários: