Páginas

domingo, 21 de março de 2010

Um Louquinho Especial

Quando pensei já conhecer todas as pessoas que, inquestionavelmente, seriam importantes para mim, para o resto da minha vida, ele apareceu e as coisas tornaram-me mais fáceis de suportar, mais alegres de viver, simplesmente mais únicas. Com ele, nunca são necessárias muitas palavras para eu me sentir compreendida. Por tudo isto e muito mais, as palavras seguintes são insignificantes quando comparadas com a grandiosidade dele, enquanto ser humano.

Ele age sem pensar,
As palavras voam sem que queira,
E quando as tenta apanhar,
Já se está a rir a turma inteira.

Não tem medo de ser único,
Não tem medo de ser ele.
Da sua alma genuína,
E do coração, os defeitos dele.

Para ouvir, disponível.
Para falar também.
Se as paredes o questionassem,
Ouviriam como ninguém.

Nunca nega uma ajuda,
Nunca diz um severo não,
E embora não o admita,
É um grande resmungão.

Diz o que tem a dizer,
Desde que seja verdade.
Nos alerta para os erros,
E nas palavras a lealdade.

Se eu pudesse pedir,
De poucos desejos, um monte,
Um seria para ele,
Por mais que pense, por mais que conte.

Que a vida lhe sorrisse,
Pois bem o merece.
Que os devaneios se extinguissem,
Já que com eles enlouquece.

És um louco com devaneios muito especial.

Todos os amigos têm um nome. Este é um deles. A ti Ricardo.

1 comentário:

Anónimo disse...

és mesmo importante aninhas :)

estás cá dentro